Instagram: influenciadores ganham dinheiro com posts ‘Melhores Amigos’

Além disso, a iniciativa vem sendo utilizada por artistas que vendem um lugar na lista como forma de financiar coletivamente seus projetos. Canais do YouTube e produtores de podcasts aderiram à estratégia para monetizar vídeos de bastidores, dicas de produção e conversas exclusivas para fãs assinantes. A iniciativa, no entanto, vem gerando críticas ácidas sobre o que seria um comércio de amizades falsas no Instagram.

Um dos casos de maior sucesso é a influencer americana Caroline Calloway. Com mais de 797 mil seguidores, ela tem 342 pessoas como melhores amigos. Para participar da lista, é preciso pagar US$ 2 (cerca de R$ 8) por mês. Pode parecer pouco, mas há ainda uma outra opção de assinatura mensal que custa US$ 100 (R$ 414 em conversão direta). O pacote, chamada de Amigos Mais Próximos, dá direito a uma ligação de uma hora no Skype com Calloway. Alguns assinantes, no entanto, dizem que a produção de conteúdo da influencer foi reduzida drasticamente após o novo modelo. Além disso, muitos reclamam que os vídeos exclusivos são posteriormente postados publicamente no perfil.